terça-feira, 20 de maio de 2008

Paragem cobrador!!!

Certamente que muitos de nós já ouvimos esta picante frase ou já usamo-la. Paragem cobrador! Cobrador é aquele jovem que anda nos chapas (transportes semi-colectivos de passageiros) que é responsável pela recolha dos meticais aos passageiros. Eu tenho visto (sempre) o trabalho dos cobradores, afinal ando de chapa! Os cobradores têm alguns traços que os identificam, dentre esses traços eu destaco:
  1. cordas vocais bem resistentes para chamar os passageiros e depois ensulta-los arrogantemente depois que estarem no seu ten years;
  2. falta de respeito pelos passageiros (ex: a senhora é muito gorda vai ter que pagar 15 meticais);
  3. higiene pessoal deficitária (quem nunca ficou asfixiado com o cheiro de sovacos de um cobrador) e
  4. (continuem a lista)

Na verdade o que me espanta e irrita nos cobradores é a maldade com que tratam os passageiros que, são a fonte do dinheiro que conseguem. Eles são tão mansos quando o assunto é conquistar o passageiro a apanhar o seu chapa mas tão rudes e maldosos logo a seguir.

Este post surge a propósito de uma situação triste que presenciei esta manhã. Eu estava num chapa em direcção a cidade da Matola e o mesmo tinha quase todos assentos preenchidos. A excepção daqueles em que o passageiro é obrigado a se levantar, vezes sem conta, para ceder lugar a quem pretende descer. Chegados a paragem da Versalhes encontramos uma senhora grávida (talvez nos últimos dias de gravidez, considerando a sua aparência) que perante a insistência do cobrador ela acabou entrando, sob a promessa de garantir um toque na entrada do Hospital Geral José Macamo.

Para o espanto da senhora e de todos que estavam no chapa, o cobrador não aceitou deixar a senhora (gravida e já cansada) no portão do Hospital alegando não ser paragem. Mesmo gritando mil e uma vezes : paragem cobrador! paragem cobrador! paragem cobrador! A senhora teve que ir descer na Ex Brigada Montada e depois trepar aquela "montanha" até ao Hospital.

Sei que não há nenhuma paragem na entrada daquele Hospital (para viaturas que saiem da cidade de Maputo) e que qualquer chapeiro que ali parar e ser encontrado pela polícia pode ser penalizado. Mas duvido que a polícia penalizaria aquele chapa por deixar descer uma futura mãe em estado bem avançado de gravidez. Afinal, teria transgredido as normas por uma justa causa.

Até quando teremos que dizer paragem cobrador em vão? Quem virá mandar parar o cobrador e chama-lo a razão e ao respeito pelos nossos direitos como passageiros e sobretudo os da mulher gravida, do idosos e do doente?

Talvez se gritassemos todos em uníssono. Paragem cobrador!!!!

8 comentários:

Anónimo disse...

Pouca experiencia tenho sobre o comportamento dos cobradores de outros paises, alias, a visinha africa do sul nao se dispoe destas vagas nos seus transportes locais, talves optam assim como via de contornar esta situacao.

Mas fazendo uma analise local e atendento as diferentes rotas que os transportadores tomam, facilmente encontra-se a diferenca entre os cobradores que actuam em rotas longas (interprovinciais) e os que actuam em rotas curtas ou seja nas zonas urbanas.

A diferenca que se refere centra-se fundamentalmente na maneira de se comportar, ora vejamos, os cobradores de longo curso tem a tendencia de se comportarem devidamente e com postura propria de quem procura criar uma confianca aos passageiros em todo o processo (este processo comeca a partir do momento em que o passageiro toma o carro, o percurso e o momento que larga o carro), garantindo desta forma que o passageiro se sinta confortado e com desejo de voltar a repetir a mesma sena nas proximas oportunidades, situacao essa que ja nao se verifica nos passageiros que usam o transporte de curto curso.

Ai a questao:
- Nao acham que o ambiente de trabalho que estao sugeito os cobradores de curto curso propicia a actos violentos que hoje assistimos?

- Subir e descer 1000 vezes na mesma viatura, abrir e fechar mil vezes a mesma porta, paragem vamos acompanhados de golpes na chaparia do carro e nao se esquecendo da conducao que o cobrador exerce ao condutor do veiculo, nao poderao ser estes os factores que stressam os vulgos "Quebradores" para tomarem tais atitudes deshumanas?

Reflitamos...
Horacio Zunguza

Anónimo disse...

PARAGEM COBRADOR

triste situacão em que passou a senhora gravia e presenciada pelo doutor. e pena porque o doutor trouxe nos em relevo o problema, mas como leucencia em Administracão Pública não avanca nenhuma solucão.

Da para lamentar este caso dr. afinal como e donde virao as solucões dos problemas que cada dia que passa sobrecarregam os mocambicanos.

veja um outro aspecto, parece que com actual crise de tranporte em particular nas vias baixa-albasine-guava, o cobrador deixou de gritar, quem grita na nossa via são os passageiros a chamarem parem ou mesmo a perguntar para onde vai o carrro.

do pondo de vista de desenvolvimento, tendo em conta a qualidade de vida estamos num mão caminho.

afianl o que fazem os quadros recem formados (o numero de licenciados e mestres esta a aumentar), viaja-se pelos paises e pelas provincias a levantar-se problemas e trocarem experiencias.

ate quando vamos comecar a nos valorizar

e muito lamentavel a situacão que se vive no pais de marabenta.

perdao por não ter corrigido o texto. tempo e que falta


R.Rossa

Jorge Saiete disse...

interessante!
Concordo que os cobradores de longo curso são razoaveis, não querendo com isso dizer que são bem comportados.aliás muito ja se reportou sobre atitudes pouco dignas de ajudante de autocarros de longo curso.

agora, quanto ao stress e cansaço dos cobradores como razões que ditam o seu comportamento, tenho resevas enormes. note que o caso que relato no post refere-se a uma situação que ocorreu de manhã (cerca das 7h). devia ser a primeira ou segunda viagem do motorista.
para mim, estamos apenas, perante gente deselegante para com os usuários dos chapas.

Jorge Saiete disse...

Cossa, a rota Albasine-Baixa/Museu é das mais problemáticas que existem em Maputo, tanto em termos de dsponibilidade de transporte, assim como o nível de barbaridade dos cobradores. denuciando a situação, acho que estou cumprindo parte do meu papel como cidadão, falta a quem de direito tomar as devidas medidas. abraço, volte sempre

ximbitane disse...

Paragem cobrador! Sim senhor, Saiete, um velho assunto, mas sempre actual.A atitude dos cobradores é do jeito que é porque nós os passageiros aceitamos ou não temos onde queixar. Conforme eles mesmo dizem, se não estás contente, desce.

Tenho conhecimento de que a Associação dos transportadores semi-colectivos já criou, em tempos idos, sessões de formação para que tanto motoristas apresentassem-se limpos diante do público e também tomaram um banho de boas maneiras e de regras de conduta.

Infelizmente o projecto acabou (de certeza a mola foi papada)e os antigos cobradores, dos quais muitos viraram motoristas estão em outros patamares.

Enquanto não houver quem comande estes fulanos ou um órgão no qual possamos realmente nos queixar, nada mudará. Sem querer incitar à violencia, penso que a solução destes e outros problemas, como o encurtamento de rotas por exemplo, só terão solução quando nós nos rebelarmos.

Jorge Saiete disse...

Ximbitane, no teu comentário acabaste respondendo uma das questões que me intrigavam. O destino dos cobradores quando atingem uma certa idade. é que sempre vimos miúdos como cobradores e nunca veteranos. devem mesmo tornarem-se motoristas.

quanto as formações, é pena que tenham terminado porque esta área é duma grande flexibilidade e para mim ninguem devia ser cobrador sem beneficiar de alguma preparação ética. a proposito, como são recrutados cobradores, na base de amiguismo? Nunca vi nenhum anúncio nesse sentido.

ximbitane disse...

É Saiete, o amiguismo é um item para a contratação do cobrador. O ideal é que seja alguém proximo de modo a que melhor se possa controlar os rendimentos.

No entanto, ultimamente tem havido cobradores contratados na hora nas terminais de chapa e no fim do expediente paga-se o valor acordado.

Jorge Saiete disse...

aié, isso é que é ter emprego flexivel. coisas do meu país. dá mesmo para dizer, paragem cobrador!!!