terça-feira, 30 de setembro de 2008

Talento assusta!!!

Recebi de um amigo um email que se enquadrado no nosso contexto político pode ajudar a explicar a sorte de Daviz Simango, Eneas Comiche, Ismael Mussá e Colaço. Leiam-no:
O artigo que se segue tem mais de 25 anos. Foi escrito no extinto Jornal da Bahia (Brasil), em 1979. É tão actual que parece que foi redigido hoje. O autor é José Alberto Gueiros.
"Quando Winston Churchill, ainda jovem, acabou de pronunciar o seu discurso de estreia na Câmara dos Comuns, foi perguntar a um velho parlamentar, amigo de seu pai, o que tinha achado do seu primeiro desempenho naquela assembleia de vedetas políticas. O velho pôs a mão no ombro de Churchill e disse, em tom paternal: "Meu jovem, você cometeu um grande erro. Foi muito brilhante neste seu primeiro discurso na Casa.Isso é imperdoável. Devia ter começado um pouco mais na sombra. Devia ter gaguejado um pouco. Com a inteligencia que demonstrou hoje, deve ter conquistado, no mínimo, uns trinta inimigos. O talento assusta." E ali estava uma das melhores lições de abismo que um velho sábio pode dar ao pupilo que se inicia numa carreira difícil.
A maior parte das pessoas encasteladas em posições políticas são medíocres e tem um indisfarçável medo da inteligência. Não é demais lembrar a famosa trova de Ruy Barbosa: "Há tantos burros mandando em homens de inteligência, que as vezes fico pensando que a burrice é uma Ciência."
Temos de admitir que, de um modo geral, os medíocres sâo mais obstinados na conquista de posições. Sabem ocupar os espaços vazios deixados pelos talentosos displicentes que não revelam o apetite do poder. Mas é preciso considerar que esses medíocres ladinos, oportunistas e ambiciosos, têem o hábito de salvaguardar suas posições conquistadas com verdadeiras muralhas de granito por onde talentosos não conseguem passar.
Em todas as áreas encontramos dessas fortalezas estabelecidas, as panelinhas do arrivismo, inexpugnáveis as legiões dos lúcidos. Dentro desse raciocínio, que poderia ser uma extensão do Elogio da Loucura de Erasmo de Roterdam, somos forçados a admitir que uma pessoa precisa fingir de burra se quiser vencer na vida.
É pecado fazer sombra a alguém até numa conversa social. Assim como um grupo de senhoras burguesas bem casadas boicota automaticamente a entrada de uma jovem mulher bonita no seu círculo de convivência, por medo de perder seus maridos, também os encastelados medíocres se fecham como ostras a simples aparição de um talentoso jovem que os possa ameaçar. Eles conhecem bem suas limitações, sabem como lhes custa desempenhar tarefas que os mais dotados realizam com uma perna nas costas, enfim, na medida em que admiram a facilidade com que os mais lúcidos resolvem problemas, os medíocres os repudiam para se defender.
É um paradoxo angustiante. Infelizmente temos de viver segundo essas regras absurdas que transformam a inteligência numa espécie de desvantagem perante a vida. Como é sábio o velho conselho de Nelson Rodrigues: "Finge-te de idiota e terás o céu e a terra." O problema é que os inteligentes gostam de brilhar. Que Deus os proteja."In JORNAL DA BAHIA - Sábado, 23/09/79
Imagem tirada daqui.

11 comentários:

Reflectindo disse...

Este texto enquadra-se neste contexto. Porém, Comiche, Simango, Mussá, Colaco e os demais que nao evitaram mostrar o seu talento estavam num dilema. Enquanto que por um lado, os seus bosses se sentiam e sentem ameacados, por outro lado o cidadão comum ansia ver alguém talentoso, ou seja quem faca trabalho, lá dos partidos. E eles devem ter pensado que estavam a elevar os seus partidos e mesmo os seus bosses e, isso é verdade. Mas bosses que nao gostam de talentosos não têm escrúpulo. Isso é o que vimos e claramente na Renamo.

Jorge Saiete disse...

Meu caro Reflectindo,
Tens muita razão ao dizer que eles estavam perante um dilema e infelismente fazer política em moçambique é gerir dilemas. Pior fica a situação quando estamos perante bosses que se assumem ditadores. abraço

X!mb!t@nE disse...

Boa bola, Saiete! Se os nossos, se, se... Tantos ses sem resposta nao é? Que dilema!

Jorge Saiete disse...

dilema é cima de dilema. parece que tudo se resume nisso: dilema

Elísio Macamo disse...

caro jorge saiete, quão inteligente é um indivíduo que não sabe que para poder fazer valer a sua inteligência tem que ser mais esperto do que os estúpidos? em minha opinião, simango e comiche foram vítimas de si próprios e de alguma ingenuidade. mesmo um pca de uma empresa não se safa apenas pela sua competência técnica; ele tem que fazer alianças e ser mais astuto do que os seus inimigos. parece-me um insulto à inteligência responsabilizar os "estúpidos" pelos desaires dos "inteligentes".

Jorge Saiete disse...

Professor, kanimambo pela visita.

Nesta estoria o que mais me intriga é o facto de:
1. Comiche ser membro do forno onde se cozem as políticas da Frelimo e um espaço onde aparentemente "os fariseus ideológicos" não teem espaço. Como é que ele não se apercebeu dos sinais de repúdio a sua actuação no municipio? E a Frelimo porquê é que não o aconselhou a não concorrer as primárias e o deixou cair na guilhotina dos seus adversários internos?
2.Simango foi durante muito tempo um menino bonito de Dlhakama. aliás, a Renamo sempre o apoiou e a governação dele era especie de trofeu do partido. Curioso é que até inicio de Agosto era a escolha de Dlhakama para candidato. Quando é que ele terá se comportado a margem do partido? Nas últimas duas semanas de Agosto?

Professor, eu prefiro me juntar as especulações que dizem que os vários interesses "antagónicos" no seio dos 2 partidos tenham ditado a sorte deles. "É que o poder é doce e se não está comigo, deve ao menos estar com alguem proximo de mim, não bastando a mera comunhão de ideologia política"

Elísio Macamo disse...

caro jorge saiete, o diabo está no detalhe. no seu número 1 pergunta por a frelimo não... quem é a "frelimo"? no seu número 2 afirma que até há menos de duas semanas simango era a opção de dhlakama... o que levou simango a supor que pudesse confiar nisso? concordo consigo que houve interesses que colidiram com a continuação desses sujeitos. política é isso mesmo.

Jorge Saiete disse...

O professor me coloca uma questão muito dificil:quem é a "frelimo"?

É uma questão interessante e, se me permite, vou deixa-la para os demais visitantes deste espaço, enquanto procuro achar a melhor resposta.

Quem é a Frelimo?

Chacate Joaquim disse...

Espero não ter chegado tarde. reflectindo e JS, E. Macamo tem razão política é astúcia, só não vejo espaço para comparar RENAMO com a FRELIMO porque Comiche perdeu para Simango mas pelo que eu saiba do Grupão haverá lugar para colocar Comiche, contrariamente a RENAMO não tem espaço para albergar os seus quadros!

Quem é a FRELIMO? é o grupo informal dentro dele e que tem o poder de influênciar a maioria, como indivíduo! como o que acontece na RENAMO (Dlakama) mesmo havendo aqueles que assim se autonomenclaturam não creio que sejam.

Jorge Saiete disse...

Chacate,
Não chegaste tarde não. Olha, gostei do que dizes ser a Frelimo.

Concordo que Comiche terá uma cadeirinha e um ar condicionado e provavelmente numa das grandes Empresas Publicas, afinal o homem é um economista de reconhecida competencia e experiencia

Júlio Mutisse disse...

Hawena Saiete, ando engajado em coisas como estas UNGA NI TXAVISSE...

Brincadeira... presuncao minha querer me comparar a mentes brilhantes. A verdade eh que a poliitica nao eh um jogo de anjinhos. Eh um jogo feio.

Importante e jogar precavido. Nao eh por acaso que no Futebol Americano usam ate capacete... ha que saber usar os precautivos proprios da politica em cada momento.

Posso te dizer Saiete, o Talento, ou a aparencia da existencia do talento e saber assusta ha muita boa gente. Juro. Ja vi isso onde eu esperava nunca ver.