quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Pai monstro!!!

Decidi hoje desabafar, afinal essa é uma das formas de libertar a alma dos montões de dores que a inundam. E quero queixar-me das nossas esposas. Por várias vezes ouço na minha propria casa, na casa dos amigos, dos vizinhos, no caminho, chapa e em outros locais onde estejam mães e seus filhos, as frases “cale-te senão o teu pai vai bater” “vou queixar ao teu pai”, “teu pai não vai gostar” etc etc. Estas frases seriam tão normais para mim, não fosse o facto de serem quase sempre proferidas pelas mães do menino ou menina desobediente. A questão que me intriga é, porque é que a mãe em vez de pôr o filho indisciplinado na linha, passa essa responsabilidade ao pai? Porquê é que só o pai é que pode dar tau-tau ou se zangar? Não será está uma forma de fazer do pai um monstro perante os filhos? Mais ainda, não será esta prática que faz com que o/a filho/a comece a não respeitar as suas mães. Para mim todos, como pais, temos responsabilidades na condução dos nossos filhos, mormente no que ao seu comportamento diz respeito. Não me parece bom, que venha apenas do pai a zanga ou o tau-tau ao menino que mal se comporta. Acho isso batota da parte das nossas esposas.
Estou a exigir demais às nossas esposas e mães dos nossos filhos?
Imagem tirada daqui

16 comentários:

Nyabetse, Tatinguwaku disse...

Olá Saiete, tens muita razão, oque contas é comum. Eu considero-me uma boa mãe, no entanto algumas vezes supreendo-me a dizer isso mesmo à minha pequena: Filha, não brinques com isso, já sabes que o pai não deixa.

E em seguida ponho-me a pensar exactamente nas consequencias da diabolizacao do pai... Que mensagem é que eu realmente passo à crianca? Que se dependesse de mim, tudo estaria bem? E de que, na verdade eu só velo sobre oque o pai decide? Hmmmm...

Para responder à tua pergunta, é possível sim conversar connosco e ajudar-nos a entender esta questão. Uma abordagem muito clara é exactamente esta da consequencia, de que no futuro as criancas temerão ao pai (monstro) e não respeitarão à mãe.

Mas como sempre, melhor uma conversa com a mães do que um raspanete nelas...

Beijocas

X!mb!t@nE disse...

Para não repetir o que a Nyabe diz, Saiete, nas entrelinhas os "papys" devem ler que estão a prevaricar na educação dos petizes. Mas, cá entre nós, confesso que não sei porque se faz isso. Na minha casa, o monstro sou eu!

Yndongah disse...

Ooops, eu entendo a ira do Saiete, mas eh importante que se diga que a reciproca eh verdadeira.As maes tem a particularidade de serem mais amanteigadas que os pais e os filhos notam tendem a tirar proveito disso, sendo assim no momento de desespero ela apela ao pai.
Relaxa Saiete a ideia nao eh demonizar o pai, eh mesmo uma cahada de atencao ao filho.

amosse macamo disse...

concordo com a Yndogah, isto porque a mulher so apela ao pai,quando se apercebe que nao da cobro a situacao. 'e uma tentativa na verdade, de resgatar o respeito onde parece que se perde.

Jorge Saiete disse...

Ola Nhabetse, parabens por dares a mão a palmatória. Concordo que a conversa é melhor que a raspanete. Então conversemos e tentemos melhorar o cenário para o bem do pai, da mãe e dos filhos. abraço e tudo de bom para ti

Jorge Saiete disse...

Xim, tu não demoras para bater na ferida, hein!!!
Evite ser monstro e nem deixe que o camarada assuma esse papel

Jorge Saiete disse...

Yndongah, a reciproca é verdade? pode ser mas não nos moldes e proporções com que as madames empurram a monstruosidade para os pais.

que as mulheres são amanteigadas, concordo, com a excepção da nossa amiga Xim (veja o comentário dela). abraço amiga

Jorge Saiete disse...

Amosse, o que dizes pode eventualmente ser verdade mas a minha experiencia mostra que elas transferem ao marido mesmo os casos tão simples e que elas podem dar cobro em 1 segundo e sem esforço nenhum. abraço

Bayano Valy disse...

caro saiete,
interessante a tua observação. mas vamos-lá tentar perceber bem as coisas! será mesmo que seja uma tentativa de diabolizar os pais? o que a sociedade espera do pai ou mãe? quem é o primeiro educador? o que acontece quando a tal educação aos petizes falha? é mesmo transferida aos pais ou seja uma consequência lógica que dita que quando a "meiguice" da mãe falha o pai entra na equação? quem é visto como o mais forte (homem ou mulher)? enfim, vamos-lá pensar mais. o contrário será contentarmos com respostas simples.
abraços

Jorge Saiete disse...

alo Bayano, devo dizer que tenho certos pontos onde me é dificil alinhar contigo.
1) no que diz respeito ao primeiro educador, duvido que tal exista. me parece estarmos todos (pais e maes) no mesmo nivel em termos de responsabilidades, não vejo o primeiro nem o segundo.
2) mais forte em o quê? Aqui também tenho as minhas duvidas, sobretudo por me parecer que estas a generalizar ou seja, a dizer que, todas MULHERS=MENOS FORTES, todos HOMENS=MAIS FORTES.)Acho que cada caso é um caso, há homens fortes e há mulheres fortes e quando se trata da educação dos filhos me paracem diminutas ou inexistentes as fronteiras. abraço

Bayano Valy disse...

caro saiete,
o que fiz foram apenas perguntinhas. não afirmei nada. pelo que, não discordas comigo (hehehe). estou apenas a questionar alguns pontos de vista já bem firmes.

Nelson disse...

Peguei nas perguntinhas do Bayano para “aguçar-me”. Pode não ser uma tentativa consciente de diabolizar os “papis”, mas no fim do dia ha-de ser assim que os putos olharão para eles. Aquele desmacha prazeres que não nos deixa fazer nada. A sociedade espera que a mãe seja a primeira educadora. Ainda há que acredita que até certa idade esse negócio de educaç`ao dos putos é de inteira responsabilidade da mãe. Eu acho que é tudo inconsciente. E um elemento importante é a auseência do “pai”

Jorge Saiete disse...

Aló Nelson, como vai? Se é uma acção inconsciente então fica nos um grande desafio que, é de procurarmos prestar mais um pouco de atenção. abração

Jonathan McCharty disse...

As maes podem ter uma "mao de ferro" sobre os assuntos educacionais dos seus filhos, nem por isso sacrificando a "softeza", gentileza e amicabilidade que lhes e' caracteristica! Se a todo o momento, a mae esta' com "vou queixar teu pai"s, entao com toda a certeza ela e' uma ma' educadora e precisa urgentemente de um curso intensivo na materia! A consequencia obvia e' que esse filho(a) nunca a ha-de respeitar, pq nao e' possivel impor autoridade quando o nosso papel o de delegar essa responsabilidade!

humbane disse...

alo makuero saiete, é muito agradavel ler o teu blog. para quem ta na diaspora, é seguramumente uma forma agradavel e segura de continuamente alimentar-se da mocambicanidade. forca ai desse lado, forca para jovens como tu, emprendedores e verdadeiramente compatriotas. E depois dizem que os jovens nao tem juizo e vao vender o pais!...

Jorge Saiete disse...

Alo Edu, thanks por visitar, aliás é bom que sempre passes por cá senão esqueces Portugues. E já imaginaste esse risco. chegas cá dizes ao Munene, bonjour, heheheh.

O país já está vendido e jovem moçambicano já nada tem para vender. não foram jovens que hipotecaram a Perola do Indico as instituições da Bretton Woods e a poluição da Mozal, do Vale do rio Doce e ao crime organizado. Nos apenas herdamos essas situações e precisaremos de relibertar este país, para o bem dos nossos filhos e futuras gerações.