quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Optimismo

Certamente muitos se recordam de Mohammed Said al-Sahaf, o ex-ministro da Informação do Iraq que se tornou conhecido mundialmente pelas declarações optimistas proferidas, em conferências de imprensa diárias, durante a guerra que iniciou em 2003, em que negou até ao último segundo que as forças invasoras lideradas pelos EUA estivessem a vencer a guerra.
Quando a imprensa internacional noticava a tomada do Aeroporto Internacional Sadam Hussein e o derrube das estátuas do presidente iraquiano pelas forças invasoras, ele dizia de boca cheia “não há infiéis americanos em Bagdad! Nunca! Eles nem sequer estão perto do aeroporto. Estão perdidos no deserto. Não sabem ler uma bússola. São atrasados mentais".
Esta viagem ao ano de 2003, vem a propósito do optimismo que tem sido manifestado por candidado as autarquicas que a partida, não têem chances de ganhar. Vi a dias nas televisão um candidato a um dos municípios da província de Sofala que ainda nem começou a fazer campanha, alegadamente porque os órgãos centrais do seu partido ainda não enviaram material para o efeito, a dizer que ele e o seu partido ganhariam com uma maioria esmagadora. Outro candidato independente (praticamente chumbado) na provincia de Maputo disse a Rádio que, ele é a esperança do municipio para o qual concorre e que é o único capaz de ganhar porque os seus adversários serão penalizados pelos eleitores. Muito e muito optimismo político.
Será que em política não se pode ser realista?
Imagem tirada daqui

7 comentários:

Chacate Joaquim disse...

Infelizmente é assim meu irmão. o Júlio Mutisse faz uma bela reflexão em torno do tema que nos sugere veja aui http://ideiassubversivas.blogspot.com/ se é que ainda não passou por lá.

abraços

X!mb!t@nE disse...

Optimismo o q.b. ou entao é uma jogada estrategica na mente dos distraidos! A ver vamos!

Reflectindo disse...

O optimismo é alimentado pela proibicão de sondagens durante as campanhas eleitorais. Acho que os jornais deviam ser autorizados a fazer sondagens durante esse período.

Júlio Mutisse disse...

A esperança é a última coisa a morrer. Mas morre hehehe. Acho que mais do que optimismo, são desvaneios para justificar a entrada numa corrida para a qual, alguns nem se quer pernas têm.

Bayano Valy disse...

caro jorge,
recordo-me muito bem do ex-ministro. o cúmulo foi quando deu uma conferência de imprensa num dos hoteis de bagdad a negar que as tropas invasoras tivessem entrado, tendo os jornalistas desatado a ir porque do canto da imagem via-se um tanque norte-americano. o fulano foi chamado de comic aly que bush não o incluíu no famoso baralho e nunca foi preso.
mas a comunicação tem técnicas e uma delas é dizer uma mentira quantas vezes possível (à la goering) até por força de sugestão tornar-se verdade. acho que os candidatos esperam que o povo acredite sempre nas mentiras.

Ricardo Cossa disse...

Estão a justificar o tempo de atena que a tvm e rm cederam, tinham que dizer algo mesmo que não fosse sério e assim disseram.

Para os menos atentos algumas destas informacões são convicentes.

Recordo a malta que a solucão dos nossos problemas estão nas nossas mãos, mas não nas mãos do Fulano Candidato e nem do eleito Obama.

abraço

Jorge Saiete disse...

Caros amigos:
Chacate, Xim, Reflectindo, Mutisse, Bayano e Cossa. Muito obrigado pela vossa visita e comentários, infelismente não pude interagir convosco porque no dia imediatamente a seguir a publicação desta postagem comecei a trabalhar fora do escritorio e em locais onde não tinha acesso a net.
felismente já estou de volta, espero poder postar algo ainda esta semana. Abraço.