quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Muita emoção!!!

Obama ganhou e todos os seus apoiantes estão de júbilo e eu faço parte desses apoiantes dele, apesar de achar que estou no grupo dos menos ferverosos.
Lembre-se que desde que os canais internacionais informaram que o candidato democrata tinha consiguido a fasquia dos 270 delegados, o mundo e a Africa em especial quase que parou.
A BBC durante todo o dia de ontem andava de país em país a colher reacções e quase todos os entrevistados em paises africanos apontavam Obama como o novo messias que se fez homem para salvar o continente negro da pobreza extrema. Um malawiano, entrevistado em Lilongwe disse à BBC que Obama ia combater a malária na ex-Niassalandia.
Todos esperam de Obama feitos messiánicos, a excepção de um que falou de Juba no Sul de Sudão, que disse não esperar muito dos democratas pois estes assistiram impávidos ao genocídio nos grandes lagos na decada de 90. Obama é messias para muitos que se esquecem que ele foi, e apenas, eleito para presidente dos EUA e é da sua agenda que se vai ocupar. Não virá a Maputo, nem irá a Lilongwe e nem a Lagos ou Wajir no Kenya distribuir dolares. Não, não!
Outros são tão emocionados que preferiram fazer o que nem os próprios democratas nos EUA fizeram, como deixar de ir trabalhar para festejar a vitoria de Obama. Um desses emocionados é o presidente do Kenya que decidiu dar folga a todos trabalhadores kenianos hoje, para, segundo ele, festejarem a vitoria de Obama, esquecendo que, um dia apenas é bastante para uma economia perder milhões e milhões de dolares.
Alegremo-nos com cuidade porque Obama não é nosso presidente mas é sim dos Americanos.
Imagem tirada daqui

11 comentários:

Júlio Mutisse disse...

Lá no meu cantinho, digo:

"Eu pelo menos espero que Obama seja o presidente dos americanos. A euforia que se apoçou de nós não pode nos levar a pensar que Obama é presidente dos africanos. Ele foi eleito pelos americanos para dirigir os destinos da nação americana definindo políticas que podem (ou não) ter reflexo para África.

Contento me por viver esta época histórica, de ver um filho de um filho de África como presidente dos Estados Unidos. A responsabilidade de definir políticas para o desenvolvimento de Moçambique e, quiçá, de toda África está em Guebuza e demais líderes africanos, com o eventual apoio do Governo de Obama."

Que os quenianos voltem rapidamente ao trabalho. Essa é a safa deles para se desenvolverem. Eu tb vou fazer o mesmo.

Reflectindo disse...

Boa alerta, Jorge. Nem que fosse Obama fosse nosso Presidente havia e há que calcular em percas com feriados por exemplo. Porquê as pessoas não fazerem o contrário - uma hora extra no sector de producão como forma de acelerar o desenvolvimento.

Há um discurso que Barack Obama deixou para os afro-americanos: Desempenho, muito desempenho, trabalho duro.

micas disse...

Yes, we can!

Não esqueçamos esta máxima de Obama e façamos dela o nosso lema de todos os dias.

Podemos trabalhar mais e melhor!
Podemos lutar mais e melhor!
Podemos mudar as nossas atitudes menos generosas, para com os outros!
Podemos, acima de tudo ser melhores SERES HUMANOS!

Ao trabalho, que nenhum pais cresce de braços para o ar!

Bem vindo a casa Jorge!

Um abraço

Jorge Saiete disse...

Mutisse,
Os Quenianos precisam de trabalhar e parar de penasr que Obama será seu "pai-natal".

Pior é que eles estao se esquecendo que Obama não é Queniano mas sim filho de um Queniano.

Jorge Saiete disse...

Reflectindo,
Essa de desempenho e muito trabalho, fingimos não ter ouvido. Queremos é que Obama venha a Africa já no dia 21 de janeiro com um camião de dolares para nós.
abraço

Jorge Saiete disse...

obrigado Micas,
Nenhum país crece sem que o seu povo trabalhe mas o chato é que do trabalho muitos de nós tememos.

Ricardo Cossa disse...

Eu também tou feliz com a vitória de Obama, sobre tudo por ser Afro-Americano. Para mim que sou da linhagem patrilinear ele é Africano de facto.

E a história de feriado, é a parte que anima no poder, ditar regras de jogo. Para o africano, acho que por ser sempre ou na maioria das vezes empregado (dependentes),em tudo quer descanso, tratasse do dia de vitória/alegria ou da tristeza devem ter feriado ou tolerancia, os ganhos destes descansos não os conheços.

Quanto às politicas de Obama seu custo/benefio para Africa, deixo para os outros comentar.
Mas recorde-se, Americano é sempre Americano, "never change" E se este for Africano melhor para Africa, ainda pode tirar alguns proveitos.

Chacate Joaquim disse...

Compatriotas, como diz JS, a maior vitória está na Vitória de Obama num mundo racista e egoista, e mais, América é uma sociedade média e superior é por isso que há alternância, pelo que Obama nunca teria espaço para influenciar as políticas em benefício da África para além de que o próprio colégio e outros orgãos governativos estarão atentos. Qualquer tenativa será severamente quistionada. abraços

goiaba disse...

Sou branca e vivo em Lisboa. Noutra encarnação terei sido africana,nascida algures,com mar por perto. Estive em Angola e Moçambique, em muito pequena e como professora, até 1973. Regressei por imperativos familiares. Fiquei muito contente com a vitória de Obama e por tudo quanto isso significa. Tenho receio que se deposite nele a Esperança de todos os que se querem ver respeitados e que desejam viver em Paz.
Obrigada pelo seu blog. Venho cá de vez em quando.

Jorge Saiete disse...

obrigado Goiaba pela visita, passe sempre e procure vir a Moçambique que não te vais arrepender. abraço

Anónimo disse...

Espero que todos os colaboradores deste blog estejam bem. Lia alguns escritos de E. Macamo e me enderecou e me recomendou que eu lesse e analisasse discutindo as ideias aqui presentes.
De facto prestei muita atencao a quando do acto que consagrou Barack Obama como presidente Norte-americano. Foi de facto momento emocionante, mas mais interessante ainda porque foi uma oportunidade para a reflexao a varios niveis , pela dimensao da complexidade de que estava prenhe.
Foi tambem uma atencao que reinava em muitos dos nossos irmaos, momento de uma emocao ja vivida desde a sua primeira corrida dentro do partido democratico.Talves porque pensamos que em caso de Obama ganhar as eleicoes iriamos nos beneficiar das politicas" Barakianas" , esquecendo-nos de que elas nao sao de Obama, mas dos americanos definidas pelos mais proximos politicos estimados em um pouco mais de 1600, onde barack nao 'e superior ate ao ponto de altera-las em prol de beneficio de Africa, alias talves porque a africa tem gente pra o desenvolver, gente de que Obama nao faz parte. Quando fiquei a saber de que Quenia gozava de uma toleracia de ponto dada a vitoria de obama, inquientei-me e coloquei-me algumas questoes, na tentativa de compreender este comportamento, mas recordei-me de que em Africa isto tem acontecido com muita frequencia, porquê nao sei, traquilizei-me por instante, mas...
Sera que Obama e africano? Se é africano, por que e diferente de muitos africanos? Diferente porque mostrou espirito de trabalho que o conduziu onde hoje está. E se nao for africano, porque nos contentamos bastante ate ao nivel de dispensar o trabalho para festejar a sua vitoria, vitoria comemorada pelos seus co-americanos atraves de trabalho?
Recordei –me da arvore genealogica de que obama “é galho”, mas muito cedo cheguei a conclusao de que ele nao é africano, nao tem habitos africanos, nao consome valores africanos, nao conhece na pele a dor e miseria do continente africano, nao esta preocupado com o continente africano, portanto nao devemos ve-lo como salvador continental.
Ao mesmo tempo lembrei do facto de africanos aderirem mais a desordem que a ordem, ao descanso que ao trabalho, a injustica que a justica, ao conflito que a paz. Mas porque? É tempo de reverter trabalho prestado na promoçao de guerras em africa em trabalho visando o desenvolvimento. Vamos ao trabalho meus irmaos! Porque ele é o inimigo da miséria e da pobreza.Yes We can! We can change Africa into a development home!

Um abraço a todos!